Blog

Ícones do underground engrandecem a programação do Goiânia Noise

Maior festa do rock independente brasileiro, o Goiânia Noise Festival traz uma programação diversificada para o evento deste ano com nomes consagrados como Raimundos, Pato Fu e Camisa de Vênus. Mas nem só de artistas conhecidos vive o festival. Tendências, apostas e ídolos do underground também compõem a grade do evento que acontece entre os dias 18 e 20 de agosto, no Jaó Music Hall.
Entre as atrações do Noise que já são verdadeiras lendas do submundo roqueiro nacional estão nomes como Cólera, Project46, Nenê Altro (líder do Dance of Days), Mechanics e Tati Bassi, por exemplo.
Formado em 1979, o Cólera é um dos grupos mais importantes do punk rock nacional. O disco Pela Paz em Todo Mundo, lançado pela banda em 1986, é um dos clássicos do rock brasileiro e chegou a vender mais de 30 mil cópias, algo incomum para um artista do gênero e um trabalho independente. Em 2011, o Cólera sofreu um baque com a morte do vocalista Redson, mas retomou as atividades e volta ao festival com sua nova formação.
No cenário metal, o Project46 já é um nome consagrado, uma das bandas mais pesadas e consistentes do estilo na atualidade. Atualmente, trabalham nos EUA na produção de seu novo disco, Tres, que será lançado em breve.
Outros dois nomes fortes do underground paulista são os vocalistas Nenê Altro e Tati Bassi. O primeiro é uma verdadeira lenda no submundo nacional. Líder do Dance of Days, pai do movimento staight-edge no Brasil, militante anarquista, escritor e amante de café, Nenê Altro traz para o Noise o show de sua carreira solo, iniciada este ano com o álbum Classe de 1972. Já Tati Bassi é ex-vocalista da banda As Radioativas e também apresenta agora uma faceta nova, mais calcada na black music.
Goianos
Dentro da categoria “lenda underground”, os goianos do Mechanics também ganham lugar de destaque. Com mais de duas décadas de história, os malditos já tocaram em todas as edições do Goiânia Noise, sempre inovando e incomodando, com apresentações inusitadas e destruidoras, seja acompanhados pelo grupo performático Empreza ou fazendo um insano tributo ao Kiss ou ainda com duas baterias ao mesmo tempo no palco.
Com essa mistura de estilos, calibres, linguagens, sotaques e “tamanho dos artistas”, o Goiânia Noise chega ao seu 23º ano de história mantendo-se fiel às suas raízes, promovendo o rock independente, contribuindo para a circulação de artistas e fomentando uma nova cena nacional. Entre os dias 18 e 20 de agosto, Goiânia, mais uma vez, se tornará a “capital brasileira do rock”, misturando artistas consagrados e novcidades em três noitadas de muito som.

No Comments

Leave a Reply